Dirigentes quenianos são declarados culpados de corrupção na Rio-2016

Da AFP, em Nairóbi (Quênia)

  • Sayyid Abdul Azim/AP Photo

    Kip Keino, bicampeão olímpico de atletismo, é um dos dirigentes condenados pela Justiça

    Kip Keino, bicampeão olímpico de atletismo, é um dos dirigentes condenados pela Justiça

Sete dirigentes esportivos quenianos, entre eles o ex-ministro dos Esportes Hassan Wario e o lendário ex-atleta Kip Keino, foram declarados culpados nesta segunda-feira (15) de corrupção e desvio de dinheiro durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Quatro deles se apresentaram ao tribunal de Nairóbi, que os declarou culpados. Entre os três suspeitos que não compareceram ao julgamento estavam Hassan Wario, atual embaixador do Quênia na Áustria, e o bicampeão olímpico Kipchoge Keino (1.500 m em 1968 e 3.000 m com obstáculos em 1972).

O juiz Douglas Ogoti anunciou que emitirá ordens de prisão destinadas aos três ausentes caso estes não se apresentem à justiça até quinta-feira (18). Os acusados que assistiram ao julgamento se declararam inocentes e foram liberados após pagamento de fiança.

Os sete dirigentes são acusados de abuso de poder e de não respeitar as leis de gestão dos fundos públicos, após o desvio de mais de US$ 500 mil durante os Jogos do Rio.

Também durante os Jogos Olímpicos de 2016, uniformes de atletas quenianos foram roubados por alguns dirigentes.

Últimas notícias Ver mais notícias