Times da NFL podem perder jogadores com reforma tributária

Lynnley Browning*
Da Bloomberg

  • Otto Greule Jr/Getty Images

Se o seu time favorito da NFL não chegar aos playoffs, uma parte da culpa pode ser da reforma tributária do presidente dos EUA, Donald Trump.

A lei de 2017 poderia colocar as equipes dos estados com imposto de renda elevado em desvantagem na hora de negociar com jogadores independentes devido ao novo limite das deduções, inclusive de impostos estaduais e locais, segundo Matthias Petutschnig, economista especialista em impostos da Universidade de Economia e Administração de Viena.

A pesquisa de Petutschnig sobre o desempenho dos times ao longo de mais de duas décadas mostra que as franquias da National Football League com sede em estados com impostos altos perderam em média mais jogos durante a temporada regular do que as equipes de estados com impostos baixos ou sem impostos. Isto acontece por causa do teto salarial da NFL para os times, de acordo com Petutschnig; se eles tiverem que pagar mais para determinados jogadores para compensar impostos mais altos, o salário dos outros jogadores diminui e o nível de talentos da equipe também.

"A nova lei tributária exacerba as minhas conclusões e faz com que seja mais difícil que as equipes com impostos altos montem um time de alta qualidade", disse Petutschnig.

Limite

A lei estabelece um limite de US$ 10 mil para os impostos estaduais e locais que os contribuintes podem deduzir de suas declarações federais - uma ninharia para atletas profissionais que moram em estados com impostos elevados sobre a propriedade. A lei também eliminou a dedução estimada de gastos empresariais não reembolsados de funcionários, o que, para os jogadores de futebol americano, significa que as taxas sindicais e as comissões de agentes, relações públicas, gerenciamento de negócios ou treinadores fora da temporada não podem ser descontadas.

De maneira geral, a pesquisa de Petutschnig concluiu que uma equipe acima da mediana de 5,44 por cento da taxa média de impostos estaduais ganha, em média, quase dois jogos a menos do que um time abaixo dessa taxa. Em 2016, a média da taxa de impostos estaduais das equipes de futebol americano que chegaram aos playoffs foi de 4,62 por cento; a das equipes que não chegaram foi de 5,93 por cento.

O contrato de US$ 137,5 milhões de cinco anos do quarterback Jimmy Garoppolo com o San Francisco 49ers significará o pagamento de US$ 3 milhões adicionais em impostos de acordo com a nova lei tributária, segundo Alan Pogroszewski, presidente da AFP Consulting, uma empresa de contabilidade para atletas profissionais. Garoppolo teria economizado US$ 2 milhões em impostos com a nova lei se tivesse assinado com o Denver Broncos, do Colorado, um estado com impostos mais baixos.

* Com a colaboração de Eben Novy-Williams

Últimas notícias Ver mais notícias