Repúblicas populares de Donetsk e Lugansk se unificam como Novorossia

Kiev, 24 mai (EFE).- As autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk se unificaram neste sábado sob o nome de Novorossia (Nova Rússia), um dia antes das eleições presidenciais na Ucrânia.

A cerimônia de unificação aconteceu em um hotel de Donetsk, a capital da homônima região russófona, na presença de representantes de outras regiões do sudeste ucraniano: Odessa, Jerson, Nikolayev, Dnipropetrovsk e Zaparozhie.

Os signatários foram o primeiro-ministro da república popular de Donetsk, Aleksandr Borodai, um cidadão russo, segundo Kiev, e o líder separatista e chefe do legislativo de Lugansk, Alexei Kariakin, informou a imprensa local.

A assinatura do documento ocorreu a portas fechadas, sob rígidas medidas de segurança e com a presença do canal de televisão russa Rossiya-24.

Os insurgentes reconheceram que em fileiras ocorreu uma divisão entre os que apoiavam o ato de unificação de hoje e os que defendem incluir na Novorossia as oito regiões do sudeste ucraniano de maioria russa.

"Chamaremos nosso estado Novorossía. Nele ingressarão as oito regiões do sudeste da Ucrânia", disse Pavel Gubarev, autoproclamado governador de Donetsk.

A Rússia não respondeu aos pedidos dos insurgentes para que reconheça sua independência, declarada após os referendos separatistas de 11 de maio.

O presidente russo, Vladimir Putin, foi o primeiro a falar publicamente de Novorossia, em referência aos territórios do leste da Ucrânia próximos ao Mar Negro e controlados desde o século 18 pelo império russo em tempos de Catarina, a Grande.

Os rebeldes se propõem boicotar as eleições presidenciais do domingo, nas quais foram convocados cinco milhões de eleitores de Donetsk e Lugansk.

Em ambas as regiões os rebeldes bloquearam as zonas eleitorais e roubaram urnas e listas de eleitores, e nem sequer cédulas foram impressas pois os insurgentes roubaram todas as prensas.

Últimas notícias Ver mais notícias