Prisioneiro de Guantánamo é repatriado à Arábia Saudita (Pentágono)

Washington, 11 Jan 2016 (AFP) - Um prisioneiro saudita que estava na prisão americana de Guantánamo foi repatriado para a Arábia Saudita, reduzindo a 103 o número de presos que permanecem detidos na base naval em território cubano, informou o Pentágono nesta segunda-feira.

O réu, Mohamed Abd Al Rahman, chegou à Arábia Saudita na segunda-feira, informou Gary Ross, porta-voz do Pentágono, em um comunicado.

Mohamed Abd Al Rahman Awn ak Shamrani, de 40 anos, acusado de ser membro da Al Qaeda, estava preso há 14 anos em Guantánamo, segundo a ficha das autoridades americanas, publicada no WikiLeaks e no The New York Times.

Ele tinha sido preso no fim de dezembro de 2001, após ter combatido as forças americanas e da coalizão contra os talibãs.

Era acusado, entre outras coisas, de recrutar combatentes para a Al Qaeda e "talvez" de ter sido guarda-costas de Osama bin Laden, segundo a mesma ficha.

O Pentágono considera ter garantias suficientes de que o ex-detento não voltará a se somar às fileiras da rede islamita.

wat-lby/sha/jb/ja/mvv

Últimas notícias Ver mais notícias