Curdos expulsam Estado Islâmico de Kobani após batalha de quatro meses

  • Por Sylvia Westall e Ayla Jean Yackley

Por Sylvia Westall e Ayla Jean Yackley

BEIRUTE/ISTAMBUL (Reuters) - Forças curdas assumiram o controle da cidade síria de Kobani nesta segunda-feira depois de expelir os combatentes do Estado Islâmico, disseram um grupo de monitoramento e a mídia estatal síria, embora os Estados Unidos tenham dito que a batalha de quatro meses pela cidade ainda não terminou.

Alguns apoiadores do Estado Islâmico foram ao Twitter para dizer que a luta em Kobani, um ponto crucial no embate entre as forças internacionais e o grupo ultrarradical islâmico, continuava em andamento.

Militantes islâmicos lançaram um ataque contra a cidade de maioria curda no ano passado, usando armamentos pesados roubados no Iraque e forçando dezenas de milhares de moradores locais a se exilarem.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos, sediado na Grã-Bretanha, disse que as Unidades de Proteção do Povo (YPG), milícia formada por sírios curdos, retomaram a cidade, localizada perto da fronteira com a Turquia, mas avançavam com cautela na periferia leste, onde o Estado Islâmico plantou minas antes de se retirar.

“Posso ver a bandeira da YPG sobre Kobani. Há o som de caças voando acima”, disse Tevfik Kanat, um curdo turco que correu em direção à fronteira junto com centenas de outros, incluindo refugiados de Kobani, após ficar sabendo sobre o avanço das forças curdas.

“A pessoas estão dançando e cantando, tem fogos de artifício. Todos sentem uma grande sensação de alívio”, disse ele por telefone.

O Estado Islâmico ainda possui militantes em centenas de vilas próximas, e convocou seus apoiadores neste segunda-feira a alvejarem pessoas no Ocidente com quaisquer armas que disponham.

As forças lideradas pelos Estados Unidos têm conduzido ataques aéreos quase diários contra posições do Estado Islâmico em torno da cidade, conhecida em árabe como Ayn al-Arab. A localidade tem sido a linha de frente no combate ao grupo radical, que capturou grandes faixas dos territórios sírio e iraquiano e proclamou um califado islâmico.

“O povo de Ayn al-Arab foi capaz de expelir a organização terrorista Daesh de sua cidade, controlando-a quase completamente”, disse a agência de notícias estatal síria Sana, citando fontes locais.

O Pentágono disse não poder declarar o fim da batalha em Kobani, mas afirmou que os curdos possuem a vantagem.

“Não estou preparado para dizer que a batalha lá está ganha. A batalha continua. Mas por enquanto, forças amigas... acredito que têm a vantagem”, disse o porta-voz coronel Steve Warren.

(Reportagem adicional de Dasha Afanasieva em Istambul, Ali Abdelaty e Mostafa Hashem no Cairo e Phil Stewart em Washington)

Últimas notícias Ver mais notícias