Enchente em Angola mata ao menos 64 pessoas e número de vítimas deve aumentar

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) - Ao menos 64 pessoas morreram em uma enchente decorrente da forte chuva que atingiu a região oeste de Angola, noticiou a agência de notícias estatal nesta sexta-feira.

A maioria das mortes ocorreu na cidade litorânea de Lobito, na província de Benguela, sendo que 35 vítimas eram crianças, informou a Angop.

“As pessoas estavam dormindo, o que foi parte do problema, surpreendeu as pessoas”, disse Nuno Macedo, que trabalha para a organização humanitária Christian Aid em Angola, à Thomson Reuters Foundation. “Todos estão chocados.”

Macedo disse que a forte chuva que caiu na noite de quarta-feira destruiu muitos edifícios, o que causou a maior parte das mortes. A Angop noticiou o desabamento de 119 casas.

“Existem buscas sendo feitas para tentar encontrar aqueles que ainda estão desaparecidos, então se antecipa que o número de fatalidades deva crescer”, disse Tomilola Ajayi, uma porta-voz da Christian Aid em Londres, à Thomson Reuters Foundation.

O presidente angolano, José Eduardo dos Santos, prometeu fornecer assistência às pessoas afetadas em Benguela, segundo a Angop.

Enchentes de primavera também causaram estragos em Angola nos anos de 2009 e 2013.

Em janeiro, enchentes afetaram cerca de um milhão de pessoas em Moçambique, Malauí, Madagascar e Zimbábue. Mais de 150 pessoas morreram em Moçambique e mais de 250 no vizinho Malauí. Cerca de 250 mil pessoas foram forçadas a deixar suas casas.

(Reportagem de Joseph D'Urso)

Últimas notícias Ver mais notícias