Réplica de magnitude 6 atinge o Chile cinco dias após terremoto

Em Santiago

Uma tremor secundário de magnitude 6,5 na escala Richter foi sentido no Chile nesta segunda-feira (21), cinco dias após o terremoto de 8,3 e o posterior tsunami que atingiram o norte e o centro do país deixando 13 mortos e mais de 9.000 afetados.

O terremoto foi registrado às 12h37 (mesmo horário de Brasília) 59 km a noroeste do povoado de Canela Baja (263 km ao norte de Santiago), na mesma zona onde se localizou o epicentro do terremoto de 8,3 graus registrado na noite de quarta-feira (16), após o qual foram registradas centenas de réplicas, indicou o Centro de Sismologia Nacional (CSN) do Chile.

O Shoa (Serviço de Hidrografia e Oceanografia da Armada) indicou que a réplica "não reúne condições para tsunami na costa do Chile".

O terremoto e tsunami de quarta-feira deixaram 13 mortos, quatro desaparecidos, 9.061 afetados, 14 feridos, enquanto mais de 650 casas ficaram totalmente destruídas, segundo um último balanço do Escritório Nacional de Emergências (Onemi) difundido durante o dia.

A região de Coquimbo (norte), a mais afetada pelo terremoto, foi declarada zona de emergência pelo governo da presidente Michelle Bachelet, que até o momento não quantificou os danos produzidos pela catástrofe.

O Chile, o país mais sísmico do mundo, sofreu em 2010 um terremoto de 8,8 graus na escala Richter que deixou mais de 500 mortos e perdas no valor de 30 bilhões de dólares.

Últimas notícias Ver mais notícias