Vídeo sexy do rapper Pitbull sacode política turística da Flórida

Miami, 11 Jan 2017 (AFP) - Depois que o rapper americano Pitbull aceitou US$ 1 milhão para gravar um vídeo cercado por mulheres dançando em trajes de banho nas praias da Flórida, o governo estadual se viu diante de um escândalo político que culminou na demissão do diretor da agência turística.

A agência do governo Visit Florida, que promove o turismo local com dinheiro dos contribuintes, confirmou nesta quarta-feira (11) a renúncia de seu diretor-executivo, Will Seccombe, que recebeu uma indenização de US$ 73 mil.

A polêmica começou em dezembro, quando vazou a notícia de que a Visit Florida havia pago a Pitbull US$ 1 milhão para que promovesse as praias do estado com a hashtag #LoveFL e com o vídeo "Sexy Beaches".

O título da música é um jogo de palavras em que "beach" - praia - soa de maneira similar a "bitch" (vagabunda, em tradução livre).

À medida que a pressão aumentava para que o acordo, inicialmente confidencial, fosse divulgado, o próprio Pitbull decidiu divulgá-lo em sua conta no Twitter em 15 de dezembro passado. O documento data de 9 de julho de 2015.

No vídeo, pode-se ver praias da Flórida de água cristalina enquanto Pitbull canta, rodeado de jovens seminuas, "I wanna see sexy beaches, hotels" ("Quero ver 'praias' sensuais, hotéis").

O episódio foi um grande baque para a política local, com efeito cascata.

O governador Rick Scott pediu a renúncia de Will Seccombe; o presidente da Câmara de Representantes da Flórida, Richard Corcoran, questionou o uso do dinheiro dos impostos para promover o turismo; e a agência Visit Florida enfrentou um pesadelo com as relações públicas.

Finalmente, na terça-feira (10), Seccombe "concordou em cancelar seu contrato e recebeu 73 mil dólares de indenização", disse nesta quarta-feira a porta-voz da Visit Florida, Kathy Torian.

Ele será substituído no cargo por Ken Lawson, até então secretário do Departamento de Negócios e Normas Profissionais da Flórida.

O governador Scott comemorou a decisão, afirmando, sem se referir diretamente a Pitbull, que Lawson "entende a responsabilidade que temos de ser transparentes com cada dólar dos contribuintes".

No tuíte em que o cantor divulgou o conteúdo do contrato, o americano de origem cubana escreveu: "Foi uma honra representar Miami e o estado do Sol (...) muito antes de qualquer contrato".

Pitbull, de 35 anos, cujo nome de batismo é Armando Pérez, usou a hashtag #LoveFL pela última vez em 15 de agosto de 2016.

Últimas notícias Ver mais notícias