Trump pode nomear mulher para Embaixada dos EUA no Vaticano

NOVA YORK, 15 MAI (ANSA) - A menos de duas semanas do delicado encontro entre o papa Francisco e o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, o mandatário pode ter escolhido quem será o embaixador do país no Vaticano. Segundo com a imprensa norte-americana, a escolhida seria Callista Gingrich, a terceira mulher do ex-presidente da Câmara Newt Gingrich. Mesmo que o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, tenha dito nesta segunda-feira (15) que "nenhum anúncio" ainda foi feito sobre a posição, se Callista for nomeada oficialmente ela será a terceira mulher a representar os EUA na Santa Sé. Callista tem 51 anos e atualmente dirige a companhia multimídia Gingrich Productions e canta no coro da Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição, na cidade de Washington. Católica fervorosa, ela é casada com Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara entre 1995 e 1999, ou seja, durante o governo do presidente Bill Clinton, e foi um dos republicanos que apoiou fortemente a candidatura de Trump à Presidência. Newt também foi um dos políticos que mais quis destituir Clinton do cargo quando o escândalo do caso com Monica Lewinsky explodiu. No entanto, seu relacionamento com Callista teve um início parecido, quando este ainda estava casado com sua segunda mulher. Um ano após um divórcio conturbado, Callista e Newt se casaram. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Últimas notícias Ver mais notícias