Morre estudante americano que ficou em coma após ser preso na Coreia do Norte

Washington, 19 jun (EFE).- O estudante americano Otto Warmbier, que ficou preso na Coreia do Norte durante mais de um ano e foi entregue na semana passada em coma à sua família, morreu nesta segunda-feira em seu estado natal, Ohio, informou a família do jovem, que tinha 22 anos.

"Com tristeza informamos que nosso filho, Otto Warmbier, completou sua viagem para casa", explicou a família em um comunicado no qual detalha que o rapaz morreu na companhia de seus entes queridos.

"Seria fácil, em um momento como este, focar no que perdemos, o futuro que não passaremos com este jovem carinhoso, divertido e brilhante, cujo entusiasmo não conhecia fronteiras. Mas escolhemos focar no tempo que tivemos com esta pessoa extraordinária", disse a família do estudante.

No comunicado, os pais, Fred e Cindy Warmbier, agradecem aos médicos do hospital de Cincinnati no qual Warmbier foi internado em 13 de junho por terem feito todo o possível para salvá-lo, após ter sido liberado pelas autoridades norte-coreanas em coma e com graves danos cerebrais.

A família condenou "o horrível e tortuoso abuso" que o rapaz recebeu do governo norte-coreano, ao qual responsabilizou pela morte porque.

Os pais afirmaram que, apesar de o jovem ter chegado ao país incapaz de falar ou responder a estímulos, "o semblante de seu rosto mudou" no dia seguinte à chegada.

"Estava em paz. Estava em casa, e acreditamos que pôde sentir isso", alegou a família.

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, anunciou na semana passada que seu departamento tinha conseguido a liberdade do jovem.

Warmbier estava há mais de um ano em coma, tendo ficado nesta condição pouco após sua última aparição em público, durante seu julgamento em Pyongyang, em março de 2016, por supostamente ter roubado um cartaz de propaganda do regime de Kim jong-un, segundo a família do rapaz.

O regime da Coreia do Norte argumentou que Warmbier sofreu um surto de botulismo e que o medicou, mas que ele não voltou a acordar, algo que a família refuta.

Últimas notícias Ver mais notícias