"Deixar para trás não é opção": desabrigados encaram enchentes para salvar animais de estimação

Matthew Haag*

  • David J. Phillip/AP

    Joe Garcia carrega sua cachorra Heidi para salvá-la das enchentes que atingiram a sua casa em Spring, Texas, com a passagem da tempestade Harvey

    Joe Garcia carrega sua cachorra Heidi para salvá-la das enchentes que atingiram a sua casa em Spring, Texas, com a passagem da tempestade Harvey

Quando Joe Garcia avistou um barco de resgate na segunda-feira, do lado de fora de sua casa alagada em Spring, subúrbio no norte de Houston, ele atravessou a água que chegava à altura do peito empurrando um barril de plástico com seus pertences, e o colocou para dentro do barco. Depois, ele voltou para casa para pegar mais um item de estimação: Heidi, sua pastora alemã.

Garcia, todo ensopado, atravessou as águas das enchentes que iam subindo carregando Heidi, cuidando para que a cabeça dela permanecesse seca, e a colocou em segurança dentro do barco de pesca de um voluntário. Eles foram retirados rapidamente, em um momento capturado por um fotógrafo da The Associated Press.

Ao longo dos últimos dias, o furacão Harvey desencadeou volumes impressionantes de chuva na área de Houston, paralisando a região e transformando ruas em rios. Milhares de pessoas foram deslocadas, e muitas continuam aguardando resgate.

Quando as pessoas são removidas e levadas para um ambiente seguro, muitas vezes levam consigo a roupa do corpo e os poucos pertences que conseguem carregar. Para muitos, isso inclui seus animais de estimação, que são içados para dentro de barcos e veículos anfíbios, e vão junto com eles até terra firme.

Mas nem sempre esse é o caso. Muitos animais de estimação foram deixados para trás, abandonados em casas ou acorrentados a árvores, sendo resgatados por estranhos e abrigos de animais. E alguns animais, como gado, eram simplesmente grandes demais para serem retirados antes da chegada do Harvey.

Mas Winston e Baxter, um West Highland terrier e um shih tzu, nunca saíram de perto de Belinda Penn. As águas das enchentes começaram a penetrar pelas portas de sua casa em Spring, na tarde de domingo, passando a alagar o primeiro andar.

Ela e seu marido Scott pegaram os cães e foram se refugiar no segundo andar. A família estava transtornada, mas Winston e Baxter tinham suas caixas de transporte e comida no segundo andar. De qualquer forma eles estavam nervosos demais para comer, disse Belinda Penn.

Por volta das 11h da segunda-feira, um vizinho disse aos Penns que um barco de resgate estava a caminho. Eles encheram sacos de lixo com roupas e comida de cachorro, e atravessaram a água carregando os cães. Na noite de segunda-feira, conseguiram chegar ao apartamento da mãe de Belinda Penn, no subúrbio de The Woodlands.

AP Photo/David J. Phillip
Scott e Belinda Penn com seus cachorros Winston e Baxter após serem resgatados

"Cada situação é diferente, mas para nós, não era uma opção deixar nossos bichos para trás", disse Penn. "Eles são meus melhores amigos".

Outros animais não tiveram a mesma sorte.

Uma mulher da cidade de Corpus Christi disse no Twitter que recolheu o cachorro de seu vizinho que havia sido deixado no quintal. Um fotógrafo do "The Daily Mail" resgatou um cachorro que encontrou acorrentado a um poste em Victoria, com água subindo à sua volta, segundo o jornal. Em Dickinson, um repórter da CNN avistou dois Labradores abandonados em um barco. 

Em San Antonio, o Departamento de Controle de Animais havia recolhido cerca de 200 animais desalojados até a tarde de segunda-feira, com outros a caminho.

Cães resgatados eram mantidos em fileiras de gaiolas em um depósito com ar condicionado, a leste do centro de San Antonio. Os gatos, para terem tranquilidade, foram levados a um local separado.

"Estamos comprometidos pelo tempo que for necessário e enquanto o país precisar de nossa ajuda", disse em uma entrevista Heber Lefgren, diretor do departamento.

AFP PHOTO / SUZANNE CORDEIRO
Cachorro de uma pessoa desabrigada no Delco Center, em Austin

Alguns animais que já estavam sob cuidados do abrigo antes da tempestade seriam levados de avião para centros de animais em outros Estados. Na manhã de terça-feira, o primeiro voo carregado de cães e gatos estava programado para partir de San Antonio rumo a Nova Jersey. Na quarta-feira, um voo partirá em direção a Seattle.

"Existe uma probabilidade de que isso se estenda por semanas, porque quando as águas começarem a baixar, vão encontrar muitos outros animais desalojados", disse Kim Alboum, diretora da Humane Society dos Estados Unidos, que estava organizando os voos.

Alguns animais de estimação também estavam ajudando socorristas a encontrar pessoas presas dentro de casa. Na segunda-feira, Marty Lancton e outro bombeiro de Houston estavam levando pessoas resgatadas em um barco, no sudoeste de Houston, quando ele avistou dois cães sobre um telhado.

"Parecia haver algo de errado", disse Lancton, descrevendo por que a cena chamou sua atenção.

Os bombeiros, com o barco já lotado de pessoas resgatadas, se aproximaram da casa e logo viram uma mensagem no vidro da porta da frente: "Socorro".

"Nós manobramos o barco—a água estava na metade, quase a três quartos da altura da casa—quebramos a janela, tentamos chamar alguém, e o dono da casa estava na garagem", disse Lancton, presidente da Associação de Bombeiros Profissionais de Houston.

Ele disse que nunca descobriu por que os cachorros estavam no telhado. Talvez não houvesse espaço dentro da casa. Talvez eles estivessem lá para chamar a atenção de alguém.

"Seja como for, funcionou", disse Lancton. 

* Com reportagem de Staci Semrad (San Antonio) e de Alan Blinder (Houston).

 

Tradutor: UOL
Últimas notícias Ver mais notícias