Sobe para 270 o número de mortos em atentado terrorista no Egito

Cairo, 24 nov (EFE).- O número de mortos no atentado terrorista contra uma mesquita sufista no norte da península egípcia do Sinai aumentou para 270, segundo o prefeito da cidade de Bear al Abd, onde aconteceu o ataque.

"Há aproximadamente 270 mortos e 90 feridos", disse o prefeito da cidade, Nasrala Mohammed, em entrevista à televisão estatal egípcia.

O último balanço da tragédia, que tinha sido divulgado pela Procuradoria Geral egípcia e pelos meios de comunicação oficiais, foi de 235 mortos e 109 feridos.

O atentado, o mais mortífero da história do Egito, ocorreu quando, segundo explicaram fontes de segurança egípcia à Agência Efe, os terroristas colocaram artefatos explosivos de fabricação caseira ao redor da mesquita Al Rauda e os detonaram na saída dos fiéis da oração de sexta-feira, dia sagrado para os muçulmanos.

Após as explosões os terroristas dispararam contra as pessoas que tentavam fugir da mesquita, segundo a fonte, que acrescentou que as primeiras ambulâncias que chegaram à área também foram atacadas.

A presidência egípcia declarou três dias de luto nacional pelas vítimas do ataque na mesquita, que ainda não foi reivindicado por nenhum grupo extremista.

Na província do Norte do Sinai, onde o estado de emergência está vigente desde 2014, opera o braço egípcio do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), chamado Wilayat Sina, que reivindicou a maioria dos atentados ocorridos nos últimos anos no país.

Desde o dezembro do ano passado, o Egito viveu uma série de atentados contra os cristãos coptas e o país se encontra em estado de emergência desde abril por conta dos atentados contra duas igrejas coptas no delta do Nilo.

Últimas notícias Ver mais notícias