Hungria diz que bloqueará processo da UE para retirar voto da Polônia

Budapeste, 20 dez (EFE).- O Governo húngaro afirmou nesta quarta-feira que bloqueará o processo aberto pela Comissão Europeia (CE) contra a Polônia devido a uma reforma em seu sistema judicial que Bruxelas considera contrária ao Estado de direito, e que poderia acabar com a perda do voto deste país na União Europeia (UE).

"A decisão viola severamente a soberania da Polônia. É inaceitável que Bruxelas pressione países soberanos e castigue Governos eleitos democraticamente", assegurou o vice-primeiro-ministro húngaro, Zsolt Semjén, à agência "MTI".

Semjén afirmou que trata-se de um "processo político" contra o Governo polaco e afirmou que a Hungria está disposta a bloquear uma decisão contra a Polônia.

"Salvaremos a Polônia frente a um processo político injusto e conceitual", afirmou o político húngaro.

A CE colocou hoje em andamento o artigo 7 do Tratado da União Europeia contra a Polônia, um processo legal que poderia retirar de Varsóvia seu direito ao voto na UE.

"A Comissão concluiu hoje que há um claro risco de uma ruptura séria do Estado de direito na Polônia" e "propõe ao Conselho que adote uma decisão no marco do artigo 7 do Tratado da União Europeia", indicou a CE num comunicado.

O Governo húngaro e seu primeiro-ministro, o nacionalista Viktor Orbán, foram criticados várias vezes pela UE desde que este chegou ao poder em 2010 por limitar a democracia e adotar medidas contrárias à legislação comunitária.

Budapeste e Varsóvia se apoiam mutuamente nas discussões com Bruxelas e formaram uma frente comum, junto à Eslováquia e à República Tcheca e, mais recentemente, à Áustria contra a política de repartição solidária de refugiados nos países comunitários.

Últimas notícias Ver mais notícias