Pó em carta aberta por esposa de Trump Jr. não é perigoso, diz polícia de NY

NOVA YORK (Reuters) - Vanessa Trump, esposa de Donald Trump Jr., e outras duas pessoas foram levadas para um hospital nesta segunda-feira após ela abrir uma correspondência de correio contendo um pó branco não identificado, o qual acabou sendo comprovado como não perigoso, disseram autoridades de Nova York.

"A substância chegou pelo correio e foi dirigida à Donald Trump Jr.", disse o porta-voz do Departamento de Polícia de Nova York, Carlos Nieves.

Vanessa Trump, nora do presidente Trump, foi hospitalizada, queixando-se de náusea após abrir a carta, disseram autoridades de Nova York.

Ela e as outras duas pessoas foram levadas ao NewYork-Presbyterian/Weill Cornell Medical Center para uma avaliação médica, disse a porta-voz do Departamento de Bombeiros, Sophia Kim.

Entre os três estava também a mãe de Vanessa Trump, embora ela não se queixasse de sintomas, disse o porta-voz da polícia.

Autoridades dos EUA estão em alerta sobre correspondências com pó branco desde 2001, quando envelopes contaminados com antrax foram enviados a veículos de mídia e legisladores, matando cinco pessoas.

Donald Trump Jr., o filho mais velho do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, esteve no foco do público por seu papel em reuniões em 2016 com um advogado russo, entre outros, na qual a campanha de Trump teria recebido informações potencialmente prejudiciais para sua rival democrata Hillary Clinton.

(Reportagem de Peter Szekely e Jonathan Allen)

Últimas notícias Ver mais notícias