Alemanha condena sírios que EI enviou como refugiados para realizar atentados

Berlim, 12 mar (EFE).- A Audiência de Hamburgo, na Alemanha, condenou nesta segunda-feira a penas de entre três anos e meio e seis anos e meio três sírios que chegaram em 2015 à Alemanha por determinação do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) para preparar atentados e que se registraram como solicitantes de asilo usando documentação falsa.

De acordo com a sentença, difundida pela emissora de radiotelevisão regional "NDR", os três foram recrutados supostamente pela mesma pessoa que enviou à França os autores dos atentados cometidos em novembro de 2015 em Paris, utilizando a mesma infraestrutura e rota para chegarem a seu destino.

O mais velho entre os acusados, Mohammed A. de 27 anos, foi condenado a seis anos e meio de prisão por filiação a grupo terrorista, enquanto os outros dois, que eram menores de idade, foram condenados a três anos e meio.

Mohammed A. confessou durante o julgamento que os três se envolveram com o EI e que este os enviou à Alemanha, mas negou ter mantido contatos posteriores com a organização terrorista.

O advogado adiantou que recorrerá da sentença ao estimar que esta se baseia apenas em indícios, mas o juiz considerou provado que os três jovens eram células "dormentes" à espera de instruções e dispostas a realizar atentados, apesar de não contarem com planos concretos para o mesmo.

Segundo o relato da promotoria, entre o fim de setembro e o início de outubro de 2015, os três homens se juntaram ao EI na cidade de Al Raqqa, onde pelo menos um deles foi treinado no uso de armas e explosivos.

Lá, os três também receberam a determinação de viajar para a Europa e, para isso, o grupo lhes entregou documentação falsa, telefones celulares com um aplicativo de mensagens instantâneas e entre US$ 1.000 e 1.500 para cada um.

No início de novembro, os rapazes viajaram de Al Raqqa para a fronteira da Síria com a Turquia e entraram neste último com a ajuda de uma organização especializada no tráfico de pessoas, para depois se dirigirem à Alemanha através da denominada rota dos Balcãs.

Os três foram detidos em setembro de 2016 numa operação policial simultânea nas localidades em que residiam, em diferentes abrigos para refugiados.

Últimas notícias Ver mais notícias