Ex-ministro venezuelano é preso enquanto discursava contra governo Maduro

Caracas

  • Marco Bello/Reuters

O ex-ministro venezuelano Miguel Rodríguez Torres discursava nesta terça-feira (13) contra o governo do presidente Nicolás Maduro, quando foi detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

Rodríguez Torres, um crítico do governo Maduro, do qual fez parte, foi acusado de estar envolvido em "conjurações e complôs" contra a "unidade monolítica" das Forças Armadas e planejar "atos armados e conspirações" contra a Constituição, segundo um comunicado divulgado pela presidência.

O ex-ministro participava de um evento a favor da mulher e organizado pelo órgão que coordena, o Movimento Frente Amplo Desafio de Todos. No evento, ele lembrou a crise econômica e de segurança que sacode o país com as maiores reservas provadas de petróleo no mundo.

Rodríguez, que também foi chefe da inteligência venezuelana, explicou que a solução para a crise "não passa por esperar que venha um general e resolva o problema, ou desça um messias do céu, ou venham os gringos e invadam", mas pela "organização popular".

"Se não alcançarmos a grande unidade superior dos venezuelanos, além do que digam os líderes políticos (...) é impossível que superemos esta crise", acrescentou.

O ex-ministro, que se afastou do governo em 2015, anunciou em fevereiro que a Controladoria Geral da Venezuela o desabilitou por um ano, o que o impediu de concorrer à presidência nas eleições de 20 de maio, nas quais Maduro deve se reeleger.

Na ocasião, ele disse que, de acordo com o documento no qual foi notificada a inabilitação, ele foi punido por supostamente não ter apresentado a sua declaração juramentada à Controladoria, o que classificou como "uma decisão intencional e política".

Últimas notícias Ver mais notícias