Opositores presos apanham no Serviço de Inteligência da Venezuela

Caracas, 17 Mai 2018 (AFP) -

Opositores detidos na sede do Serviço de Inteligência em Caracas foram espancados nesta quarta-feira (16) por oficiais e presos comuns, durante um protesto para exigir melhores condições, denunciaram líderes políticos e uma ONG.

"Gregory Sanabria, um dos presos políticos, foi brutalmente espancado" e, "aparentemente, vários de nossos prisioneiros foram torturados", disse a jornalistas a parlamentar Delsa Solórzano em frente ao Helicoide, o prédio da polícia.

Entre os detidos está o americano Joshua Holt, um mórmon acusado de porte de armas de guerra e supostos planos para desestabilizar o governo do presidente Nicolás Maduro.

Em uma mensagem no Twitter, a embaixada dos Estados Unidos em Caracas expressou sua "preocupação" porque "Holt e outros cidadãos americanos estão em perigo".

"Preciso de ajuda (...), tomaram a prisão onde eu estou, estão do lado de fora e dizem que querem me matar", expressou Holt em um vídeo difundido nas redes sociais. Em outra gravação, acompanhado por opositores, é visto mais calmo e esclarece que não está "sequestrado" em sua cela.

Os presos pedem liberdade para os que têm ordem de soltura, a transferência para tribunais para os que ainda não foram julgados, e atendimento médico, de acordo com Solorzano, que anunciou que vai levar o caso às Nações Unidas.

O procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, negou que o Ministério Público tenha recebido denúncias formais durante a visita de uma comissão ao Helicoide para apurar os fatos.

Fotografias de Sanabria com hematomas no rosto foram divulgadas na Internet. Ele foi preso em 2014 no âmbito dos protestos que buscavam a saída de Maduro.

O diretor da ONG de direitos humanos Foro Penal, Alfredo Romero, disse que o protesto deixou feridos, mas sem especificar o número.

No Helicoide estão 54 dos 238 opositores presos contabilizados pelo Foro Penal. "Vinte têm liberdade sob fiança que não foram concedidas", afirmou Romero.

Patricia Gutiérrez, esposa do detido ex-prefeito Daniel Ceballos, informou que Sanabria foi espancado por presos comuns, o que originou o protesto dos opositores, ao que, assegura, policiais responderam com gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Em um áudio e vídeos enviados à AFP, Ceballos justifica o protesto por violações dos direitos dos prisioneiros.

"Gregory Sanabria, um preso político há mais de três anos que não teve julgamento, está com o rosto desfigurado. Estamos cansados de ver como assassinam lentamente os que estão em Helicoide", diz Ceballos, exigindo a presença da Procuradoria nas celas.

Últimas notícias Ver mais notícias