Iraque condena francesa à prisão perpétua por relação com Estado Islâmico

Em Bagdá

  • Stringer/AFP Photo

Um tribunal iraquiano condenou a francesa Melina Boughedir, 27 anos, à prisão perpétua por pertencer ao grupo Estado Islâmico (EI). A mãe de quatro filhos, três dos quais foram repatriados para a França, já havia sido condenada em fevereiro a sete meses de prisão por ter entrado no Iraque de forma irregular.

Em um novo julgamento neste domingo, em função da lei antiterrorista, ela foi sentenciada à prisão perpétua.

Ela alegou inocência ante o juiz. "Meu marido me enganou e depois ameaçou ir embora com meus filhos", explicou.

O marido de Melina Boughedir foi dado por morto.

Em abril, a mesma corte condenou à prisão perpétua outra francesa, Djamila Boutoutaou, de 29 anos, que também alegou ter sido enganada pelo marido.

Dezenas de franceses suspeitos de se unir ao EI estão retidos no Iraque e na Síria, e muitos deles são menores de idade, informou uma fonte ligada ao julgamento.

Últimas notícias Ver mais notícias