Inteligência israelense diz que frustrou 250 "ataques terroristas" em 2018

Jerusalém, 13 jun (EFE).- A agência de inteligência interior de Israel, Shin Bet, frustrou cerca de 250 ataques desde o início de 2018 que incluem atentados suicidas, sequestros e tiroteios, anunciou nesta quarta-feira a organização em um comunicado, no qual assegura "estar lidando com muitas e variadas ameaças terroristas".

"Junto às ameaças do terrorismo institucionalizado, o fenômeno do terrorista 'solitário' foi notório durante os últimos anos", diz a nota.

Os casos de pessoas que cometem ataques de maneira individual são normalmente "por imitação e inspiração, frequentemente após um discurso extremista e inflamatório nas redes sociais", e o Shin Bet pode enfrentá-los com "meios tecnológicos, de inteligência e operacionais", e detectá-los com antecedência, segundo o comunicado.

O Shin Bet fez um grande investimento em desenvolvimento de tecnologia nos âmbitos do Big Data (grande conjunto de dados armazenados) e de inteligência artificial, com o objetivo de frustrar os planos de atentados de maneira antecipada.

Hoje mesmo, a agência anunciou a detenção, em conjunto com o exército israelense, de um palestino residente no campo de refugiados de Al Amari, na entrada da cidade de Ramala, no território ocupado da Cisjordânia, suspeito de ter atirado uma pedra que matou um soldado no mês passado quando ele realizava uma incursão com uma unidade de elite na região.

Recentemente, o Shin Bet também realizou o desmantelamento de uma célula palestina que planejava ataques terroristas contra membros do alto escalão do governo, entre eles o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, e o prefeito do Jerusalém, Nir Barkat.

Últimas notícias Ver mais notícias