Romero Britto processa dono de espaço onde fica sua galeria em Miami Beach

Miami, 13 jun (EFE).- O artista plástico Romero Britto está processando por "quebra de contrato" a empresa dona do espaço onde fica sua galeria, na Lincoln Road, em Miami Beach (EUA), alegando que o barulho, os artistas de rua e o crime na avenida que é uma das atrações turísticas da cidade assustam seus clientes.

De acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira pelo jornal americano "Miami Herald", o brasileiro argumenta que a empresa The Denison Corporation, com a qual renovou o contrato de aluguel em 2015, violou os termos do documento ao não garantir o "acordo implícito" sobre a tranquilidade do local.

Segundo o documento judicial, o artista plástico, que ficou conhecido mundialmente por suas obras multicoloridas, questiona o fato de a empresa permitir a aglomeração de "multidões de vagabundos" na propriedade, que "intimidam" os clientes e interrompem o funcionamento normal da galeria.

Além disso, o brasileiro afirma ser constante o barulho e a música de artistas de rua no local, e alega que a polícia de Miami Beach frequentemente faz prisões nas proximidades por assaltos, embriaguez, roubo e conduta desordeira, entre outros problemas.

Britto nasceu em Recife, em 1963, e vive em Miami desde 1989. O brasileiro assinou um contrato de dez anos com o dono do espaço, mas afirma no processo que já teria feito notificações sobre os problemas para a empresa, mas que nada teria sido feito sobre as reivindicações.

Últimas notícias Ver mais notícias