Trump diz que aliados reforçaram compromisso com despesa militar

Bruxelas, 12 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira durante a cúpula da Otan que os países aliados "reforçaram o compromisso" com a despesa em Defesa, como lhes tinha solicitado, "como nunca antes".

"A Otan é agora uma máquina bem afinada", assegurou Trump durante entrevista coletiva convocada de urgência.

Segundo disse, os membros da Aliança, sem incluir as Estados Unidos, destinaram desde o ano passado US$ 33 bilhões à despesa em Defesa, mas ontem Trump havia assegurado que tinham sido investidos US$ 40 bilhões desde a cúpula de 2017 e considerou isso "um passo, mas um passo muito pequeno".

Em qualquer caso, hoje acrescentou que os números de despesa militar poderiam inclusive superar esses US$ 40 bilhões.

Fontes aliadas preferiram não confirmar esses números.

"Alcançamos muito com relação à Otan. Durante anos, presidentes (dos EUA) vieram a estas reuniões e falaram das tremendas despesas para os Estados Unidos, e foi alcançado um progresso tremendo (hoje). Todos acordaram elevar substancialmente seus compromissos. Vão elevar a níveis jamais pensados", comentou.

Os países da Otan acordaram na cúpula de Gales de 2014 destinar no prazo de uma década 2% de seu PIB ao investimento militar.

"O compromisso antes era de 2%. Mas ao final será algo maior que isso", disse Trump sem precisar os números, mas assegurando que os membros gastarão "a um ritmo muito maior" para chegar a esse número.

No caso da Alemanha e do Canadá, se mostrou convencido de que chegarão a essa porcentagem em "um período relativamente curto de anos".

O líder acrescentou que "o povo" ficaria "infeliz" se não fossem elevados os compromissos "substancialmente".

"Agora estou muito feliz e temos uma Otan muito poderosa, muito forte, muito mais forte do que era há dois dias", afirmou, ao insistir que os Estados Unidos não estavam sendo tratados de forma "justa" porque pagavam entre 70% e 90% da organização.

Trump reconheceu que o dinheiro que os aliados investirem em Defesa será gasto "adequadamente" e admitiu que alguns países da Otan são "muito ricos" e outros "nem tanto", mas que a estes Washington está disposto a ajudar a comprar equipamento militar.

"Os Estados Unidos fazem, de longe, o melhor equipamento militar no mundo, os melhores aviões, os melhores mísseis, as melhores pistolas", declarou, ao insistir que o equipamento da primeira potência mundial é "muito melhor do que qualquer outro".

Apesar das críticas aos aliados, Trump acredita na Otan e disse que é uma organização "muito importante".

"A Otan está ajudando a Europa mais do que a Europa está ajudando. Ao mesmo tempo, é muito boa para os Estados Unidos", constatou.

Igualmente, destacou a unidade da organização.

"Foi um pouco duro no começo, mas finalmente, pode perguntar a qualquer um que esteve na reunião, todo o mundo gostou do que aconteceu nos dois últimos dias", ressaltou.

Últimas notícias Ver mais notícias