Israel detém quatro jornalistas palestinos por supostos vínculos com o Hamas

Jerusalém, 30 jul (EFE).- As Forças de Segurança israelenses detiveram nesta segunda-feira quatro jornalistas palestinos no território ocupado da Cisjordânia por suposto vínculo com o canal de televisão "Al Quds", vinculado ao movimento islamita Hamas, informou à Agência Efe o Exército.

"O Exército e a Agência de Segurança de Israel (ISA) detiveram quatro palestinos suspeitos de incitação e envolvimento no canal Al Quds, respaldado pelo Hamas", disse uma porta-voz militar através de um comunicado.

Segundo acrescentou, as forças israelenses confiscaram "equipamento tecnológico, de comunicação e um veículo".

Em setembro de 2017, o Exército tachou a emissora "Al Quds" de ser "porta-voz do Hamas", e "demonstrou a associação direta entre o canal e a organização terrorista", declarou a porta-voz militar, que acrescentou, "as forças de segurança continuarão operando contra a incitação para frustrar atividades terroristas e garantir a segurança na região".

Entre os detidos está um dos jornalistas que dirige a "Al Quds", Ala Rimawi, assim como os repórteres independentes Mohammed Ulwan, Husni Injas e Qutaibah Hamedan, especificou a agência de notícias "Wafa", que acrescentou que segundo fontes de segurança palestina, a operação se desenvolveu durante a madrugada entre Ramala e seus arredores.

Em outubro, forças israelenses revistaram oito escritórios de veículos de imprensa palestinos na Cisjordânia e decretaram o fechamento de vários deles por incitação à violência.

As produtoras em questão ofereciam serviços às emissoras "Al Quds" e "Al Aqsa", também vinculada ao Hamas, bem como à Al Youm, próxima aos islamitas da Jihad Islâmica, que a UE, Israel, os Estados Unidos e outros países consideram organizações terroristas.

Últimas notícias Ver mais notícias