No olho do furacão: repórteres tentam se manter em pé enquanto falam ao vivo em TVs dos EUA

Do UOL, em São Paulo

A chegada do furacão Florence, que tocou solo às 8h15 (horário de Brasília, 7h15 na costa leste dos EUA desta sexta-feira (14), é a principal notícia do dia na imprensa norte-americana.

Até o momento, registram-se ao menos 430 mil pessoas sem energia elétrica na Carolina do Norte, além de 150 pessoas ilhadas pelas inundações. 

Ao vivo, jornalistas de diversos canais de televisão tentam se manter em pé em meio aos fortes ventos, enquanto reportam ao vivo os estragos causados pelas rajadas.

"Está chicoteando em círculos", disse a reporter do programa Good Morning America, segurando o microfone com uma mão e agarrando-se ao muro com a outra.

O Florence foi rebaixado para a categoria 1, em uma escala que vai até 5, mas ainda assim causa ventos de até 150 quilômetros por hora.

Na FoxNews, o repórter Griff Jenkins antecipava a chegada do furacão na Carolina do Norte enquanto tentava se equilibrar com a ajuda de uma corrente. 

Com capa de chuva e calça impermeável, ele explicava que a situação estava 'se deteriorando'. A âncora no estúdio pedia a ele que fosse "cauteloso aí".

No canal de TV CBS, um repórter teve que encerrar a transmissão ao vivo: não conseguia ouvir o que a jornalista no estúdio perguntava e, ao fim, mal podia manter-se em pé:

Últimas notícias Ver mais notícias