Em meio a recontagem de votos, republicanos denunciam fraude na Flórida

Nova York, 11 Nov 2018 (AFP) - Um dia após o começo da recontagem de votos na Flórida, candidatos republicanos acusaram os democratas de fraude no estado, embora não tenham apresentado provas que sustentem suas acusações.

Cinco dias após as eleições, este estado do sudeste dos Estados Unidos está à espera do resultado de seu novo senador, que juntará ao republicano Marco Rubio para representar a Flórida no Senado.

Também se definirá quem será o novo governador, já que a votação entre ambos os partidos também foi acirrada.

O secretário de Estado da Flórida, Ken Detzner, ordenou no sábado a recontagem de votos nas eleições de governador e senador porque a diferença entre os principais candidatos para ambos os cargos foi de apenas poucos milhares de votos.

Na eleição do governador, resultados não oficiais publicados no sábado colocam o candidato republicano, Ron DeSantis, apoiado por Donald Trump, à frente do candidato democrata, Andrew Gillum, um dos novos rostos mais midiáticos do partido, com apenas 33.684 votos, 0,41% dos mais de 8,2 milhões de votos.

A disputa entre o senador democrata da Flórida, Bill Nelson, e o rival republicano Rick Scott, atual governador do estado, foi ainda mais acirrada. A vantagem de Scott foi de apenas 12.562 votos, cerca de 0,15% de diferença entre os dois (50,07% contra 49,92% dos votos).

Em uma entrevista à Fox no domingo, Scott disse que "o senador (democrata Bill) Nelson claramente está tentando fraudar para ganhar a eleição".

Scott justificou a acusação argumentando que "93.000 cédulas" foram "encontradas" pelos democratas depois do fim da votação.

O número aparentemente incluía muitos votos por correio junto com outras cédulas, que tipicamente se somam ao final.

Isso se soma à denúncia de que alguns condados, entre eles o de Broward, de maioria democrata, haviam corrigido em alta a quantidade de cédulas contabilizadas no dia seguinte à votação.

Neste domingo, o senador republicano Lindsey Graham também afirmou que a Comissão Eleitoral do Condado de Broward havia "violado" o código eleitoral.

No sábado, o próprio Donald Trump insinuou que os democratas estavam tentando "roubar" as eleições na Flórida, sem justificar suas acusações.
Últimas notícias Ver mais notícias