Quase um terço dos motoristas do Uber está perdendo dinheiro, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

  • Geoffroy Van der Hasselt /AFP

Um estudo feito nos EUA mostra que 30% dos motoristas do Uber estão perdendo dinheiro quando os gastos com o carro são levados em conta. A pesquisa, feita com 1.100 motoristas, é do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o renomado MIT, um dos principais centros de pesquisa dos Estados Unidos.

Segundo a pesquisa, quase três quartos dos motoristas do Uber nos EUA ganham menos do que um salário mínimo. O faturamento médio, sem contar impostos, é de US$ 3,37 por hora de trabalho.

VEJA TAMBÉM:

As despesas com o carro, desde pagar pelo veículo até gastos de manutenção consomem boa parte do faturamento de 30% dos motoristas, que lucram US$ 0,29 por milha rodada. Segundo o estudo, com o lucro abaixo de US$ 0,54 por milha, quase metade dos motoristas podem anotar perdas em suas declarações de imposto de renda.

Esses números ajudam a entender a dificuldade do Uber em reter motoristas nos EUA. Segundo publicou o site The Information em abril de 2017, o Uber conseguia segurar apenas 4% de seus motoristas de um ano para o outro.

O lado do Uber

Respondendo ao estudo do MIT, o Uber disse que a pesquisa não oferece um retrato preciso dos ganhos dos motoristas.

"Embora o estudo certamente chame a atenção, sua metodologia e descobertas são falhas. Nós contatamos os autores do estudo e compartilhamos nossa preocupação e sugerimos maneiras de trabalharmos juntos para refinar a abordagem deles".

Segundo um tweet do diretor executiva da Uber, Dara  Khosrowshahi. os pesquisadores do MIT concordaram em revisar os dados apresentados.

Mas, as reclamações de que o Uber não paga bem seus motoristas são antigas. A empresa defende seu modelo de negócio dizendo que os motoristas têm flexibilidade de trabalho e, em média, ganham mais do que o salário mínimo, mas, segundo lembra reportagem da Reuters, já perdeu uma série de processos judiciais sobre o assunto.

Estudos sobre os ganhos dos motoristas do Uber e outros aplicativos de transporte são raros e costumam ser baseados em faturamento por hora, e não na quilometragem rodada. Quase nenhuma pesquisa leva em conta os gastos dos motoristas.

"Em 16 dos 18 mercados onde o Uber está disponível, o ganho médio por hora dos motoristas parceiros excede a renda média por hora de motoristas de táxi", disse um estudo feito nos EUA em 2015. O mesmo estudo apontou que os gastos do motorista não eram levados em conta na época. "Claro, motoristas parceiros do Uber não são reembolsados por gastos como gasolina, depreciação ou seguro do veículo".

Últimas notícias Ver mais notícias