Apps são criados para denunciar assédio e dar segurança a mulheres

Rodrigo Trindade
Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

    Celulares são arma contra assédio e outros possíveis crimes

    Celulares são arma contra assédio e outros possíveis crimes

Não é incomum presenciar alguém, quase sempre uma mulher, sofrendo assédio em espaços públicos no Brasil, especialmente em cidades grandes. Os órgãos públicos fornecem canais de denúncia para este tipo de atos, mas a vítima nem sempre tem o tempo ou o sangue frio de reagir em uma situação dessas.

Para ajudar a evitar situações deste tipo, desenvolvedores criaram uma gama de aplicativos que visam ajudar as vítimas de assédio ou outros tipos de violência em espaços públicos. Eles facilitam denúncias e comunicação com autoridades - além de permitir alertas para chamar a atenção de outras pessoas próximas. 

VEJA TAMBÉM

Para Mariana Ribeiro, diretora de comunicação da ONG Nossas, a existência desses programas ajuda a preencher um vazio que as autoridades não ocupam. "O denominador comum é que políticas públicas não dão conta de fazer o atendimento de qualidade, é precarizado. A barreira de entrada para uma mulher que passou por uma violência é muito alta. Tem uma questão de confiança do atendimento qualificado, muitas dessas iniciativas surgem um pouco nesse vácuo", explicou.

No transporte público

Um desses aplicativos é o HelpMe, projeto independente do desenvolvedor Renato Sanches. Disponível para iOS e Android, ele é gratuito e foi lançado em setembro 2015, a princípio com a capacidade de enviar mensagens SMS para os canais de denúncia do Metrô e da CPTM de São Paulo, além de ter uma sirene.

A ideia de Renato surgiu ao usar os diferentes tipos do transporte e reparar que o número para denúncia em cada um deles era distinto. Para um usuário do Metrô e da CPTM, como distinguir os números em um momento de risco? Complicado. Daí a capacidade de enviar rapidamente um SMS aos canais certos, sem ter que procurar ou escolher qual era qual.

Este foi o ponto de partida do app, que desde então foi aprimorado com a capacidade de gravar áudio das situações, arquivo que pode ser compartilhado, e tirar fotos, que não podem ser compartilhadas diretamente pelo aplicativo, mas são gravadas na memória do celular para uma denúncia mais embasada. Estas duas funções, mais a sirene, estão disponíveis a usuários de todo Brasil, enquanto as denúncias por SMS são restritas a São Paulo.

Lançado depois do HelpMe, o Metrô Conecta é outro aplicativo que visa facilitar a comunicação de usuários com a empresa visando dar maior segurança contra assédio e outros crimes. Ele permite o envio de denúncias de forma direta à empresa, sejam elas sobre assédio, estações sujas ou vendedores ambulantes nos vagões.

Segurança nas ruas

Desenvolvido fora do Brasil, mas disponível em português, o app bSafe se propõe a criar uma rede de segurança que permita a comunicação rápida com pessoas seletas. Ele permite o compartilhamento de localização com um amigo, o envio de um alarme a contatos em situações de perigo ou até a recepção de uma chamada telefônica falsa se você quiser fugir de uma conversa desagradável.

O bSafe é um de vários apps que permitem o compartilhamento de localização, mas não possui características de aplicativos como o SaiPraLá, criado pela brasileira Catharina Doria. Este é um mapeador de assédio, que funciona de forma semelhante aos incidentes que você registra no mapa do Waze.

A vítima aponta o endereço, o período do dia e que tipo de assédio foi sofrido, catalogando tudo e expondo as informações de forma anônima em um mapa, que agrega as denúncias e deixa elas expostas a outras usuárias do aplicativo. Desta forma, se uma pedestre for caminhar por uma região desconhecida, poderá se informar se aquele lugar foi palco de algum incidente de assédio.

O Malalai é outro app do gênero, unindo elementos do bSafe e do SaiPraLá. Ele sugere rotas mais seguras, avaliando-as de acordo com informações sobre ruas movimentadas, policiamento fixo, edifícios com porteiros, estabelecimentos comerciais abertos, locais mal iluminados e ocorrências anteriores de assédio. Somado a isso, ele habilita notificações a pessoas indicadas de acordo com o deslocamento do usuário, o qual também poderá ser acompanhado em tempo real. Em última instância, há um botão de emergências para contatar até três pessoas por SMS.

A proposta do My SafetiPin é semelhante, com algumas categorias a mais para descrever o ambiente. Disponível apenas em inglês, ele agrega os dados fornecidos pelos usuários e dá uma "nota" de segurança a certas áreas.

Empresas grandes também têm ferramentas

Aplicativos como Uber trazem mecanismos de segurança. Recentemente, o app de transporte incluiu um botão de emergência. Antes, ele já permitia que detalhes sobre a viagem fossem informados pelos passageiros a seus contatos.

Donos de iPhone também podem compartilhar sua localidade com contatos, por meio do aplicativo Find My Friends. Feito pela própria Apple, ele permite o mapeamento em tempo real da localidade de um dispositivo da empresa.

Últimas notícias Ver mais notícias