Menos é mais: 5 hábitos do estilo de vida minimalista

Texto: Nathalia Lisboa*
Imagens: Márcio R. N. Filho, da USCS*

  • Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS

    O minimalismo questiona ou se contrapõe ao que se chama "sociedade dos exageros"

    O minimalismo questiona ou se contrapõe ao que se chama "sociedade dos exageros"

"Compramos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos, para impressionar as pessoas de quem não gostamos." Essa é uma citação de Tyler Durden em uma cena do filme "Clube da Luta" (1999), que, 11 anos depois, foi motivo de inspiração para Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus. Autores do documentário "Minimalismo: um documentário sobre as coisas que importam", esses dois norte-americanos começaram a escrever artigos sobre como ter uma vida mais feliz e simples no TheMinimalists.com, site que conta com mais de 100.000 seguidores.

Ao que parece, há um grupo cada vez maior de pessoas que rejeitam o impulso consumista, como Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, e Karl Largerfield, designer-chefe da grife Chanel, para ficar em alguns nomes conhecidos. Eles são adeptos do minimalismo, movimento que surgiu nas esferas artísticas em meados do século 20, com o objetivo de questionar ou se contrapor ao que se chama "sociedade dos exageros" – especialmente quando se trata de consumo. 

Com o auxílio da psicóloga Katia Lourenço, Coaching Psychology pela Academia do Psicólogo, em Jundiaí (SP), elaboramos uma lista com cinco alguns hábitos do estilo de vida minimalista:

Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS

Menos roupas, mais praticidade

Você já se imaginou vivendo com pouco mais de 30 peças de roupas? Pois é exatamente assim que vivem os minimalistas adeptos do "Project 333", plano que consiste em usar apenas 33 peças de vestuário, incluindo calçados, acessórios e roupas íntimas. Os minimalistas evitam comprar roupas que não sejam básicas e absolutamente necessárias e buscam a praticidade na hora de se vestir.
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS

Menos bugigangas, mais espaço

A distribuição harmoniosa dos objetos é fundamental na rotina minimalista. Eles devem alinhar conforto e funcionalidade. Com poucos móveis e sem excessos na decoração, os minimalistas garantem cômodos mais limpos e espaçosos, optando por cores clean, como preto, branco e cinza. Isso não significa que eles abram mão da elegância e da sofisticação, já que, na arquitetura, por exemplo, o modelo minimalista é uma das tendências que mais crescem em design.
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS

Menos consumo, mais qualidade de vida

Entre um apartamento novo e uma viagem com os amigos para um destino paradisíaco, qual você escolheria? Se for a segunda opção, você acabou de captar o estilo de vida minimalista. Um dos principais ideais do movimento é prezar mais pelas experiências e menos pelos bens materiais, sejam roupas, calçados, móveis ou aparelhos eletrônicos... Ser minimalista é não acumular coisas e consumir de modo consciente.
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS

Menos quantidade, mais qualidade nos alimentos

A vida pode ser mais simples até na hora de comer. Seja para selecionar o que colocar no prato, ou na hora de escolher quais itens do supermercado levar, os minimalistas buscam ao máximo não ceder a impulsos ou exageros. Eles se desviam de coisas supérfluas e prezam pela saúde, fazendo com que, na despensa, os industrializados percam a vez para alimentos naturais e mais saudáveis
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS
Márcio Roberto do Nascimento Filho/USCS

Menos stress, mais equilíbrio

Pequenos métodos como esvaziar a caixa de e-mails do escritório com frequência, organizar tarefas com lembretes ou apagar aplicativos em excesso no celular também fazem parte da rotina minimalista. Trocar o carro pela bicicleta para ir trabalhar, por exemplo, é uma atitude comum entre os adeptos do conceito. Isso faz com que eles ampliem o convívio social e, de quebra, ainda desfrutem da paisagem e do ar fresco de vez em quando. Toda a organização diária de um minimalista pode ser resumida à busca por uma vida mais equilibrada e prazerosa.

* Este conteúdo foi produzido por alunos dos cursos de jornalismo e Rádio, TV e Internet da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), sob a orientação do professor Roberto Araújo.