9 músicas machistas que todo mundo canta sem perceber

Julia Gianesi, Mariana Farah, Bianca Kachani e Bianca Alves*
da ESPM, em São Paulo

  • Reprodução/Montagem BOL

    15.mar.2017 - Você cantava sem se dar conta da mensagem, né?

    15.mar.2017 - Você cantava sem se dar conta da mensagem, né?

Essas músicas estiveram na boca do povo em algum momento da história. Mas, às vezes, cantamos algumas melodias sem nem perceber o que as letras realmente dizem. Listamos aqui 10 músicas que chocam pelas letras machistas.

Esta lista foi feita em colaboração com mais de 160 mulheres que nos enviaram, através de um grupo feminista no Facebook, sugestões de músicas machistas brasileiras e internacionais. A publicação no grupo gerou um debate construtivo, em que mulheres compartilharam suas visões sobre letras de música, suas interpretações e críticas ao machismo presente nos hits musicais.

1

Maria Chiquinha

Sim! Crescemos cantando essa música e achando a coisa mais fofa a dupla Sandy & Junior tão criança. Na história, Genaro (Junior) pressiona Maria Chiquinha (Sandy) para dizer onde ela estava e com quem. No final, ele diz que irá cortar a cabeça dela fora,incitando a violência contra a mulher. No caso, a Maria Chiquinha.

"Então eu vou te cortar a cabeça, Maria Chiquinha / Então eu vou te cortar a cabeça / Que cocê vai fazer com o resto, Genaro, meu bem? / Que cocê vai fazer com o resto? / O resto? Pode deixar que eu aproveito"

2

Pau que Nasce Torto

Essa aqui é uma clássica. Quem nunca se pegou cantando "Segure o tchan, amarre o tchan"? Aposto que se soubéssemos o que mais a música falava, a gente se controlava para não cantarolar mais. Na letra, o É o tchan faz referência à violência e abuso sexual, nos versos:

"Tudo que é perfeito agente pega pelo braço / Joga ela no meio / Mete em cima / Mete em baixo / Depois de nove meses / Você vê o resultado"

3

Baile de Favela

Se os brasileiros fossem votar em uma música para representar 2016, com certeza Baile de Favela, de MC João, estaria entre as mais cotadas. A melodia marcou presença em todas as rádios, baladas e festinhas durante o ano. O que faltou mesmo foi prestar atenção à letra: fica claramente explícita (e o pleonasmo aqui é intencional), uma apologia ao estupro, em:

"Quer desafiar / Não tô entendendo / Mexeu com o R7 vai voltar com a x*** ardendo" e "E os menor preparado para f**** com a x*** dela".

4

Vidinha de Balada

A dupla sertaneja Henrique e Juliano tentou fazer uma música pseudo-romântica, onde o mocinho se apaixona pela mocinha e, por querer tanto estar ao seu lado, diz que ela não tem escolha: deve ficar com ele pois, afinal, ele a ama muito e "igual nós dois não tem". Mas, espera. Tem algo errado aí, não tem? O que era pra ser "fofo" acabou sendo bastante possessivo e um tanto agressivo:

"Tô a fim de você/ E se não tiver, você vai ter que ficar/ Eu vim acabar com essa sua vidinha de balada/ E dar outro gosto pra essa sua boca de ressaca/ Vai namorar comigo, sim!/ Vai por mim, igual nós dois não tem/ Se reclamar, cê vai casar também"

5

Hotline Bling

A história cantada por Drake é a seguinte: o cara e a menina têm uma relação baseada em sexo. Até aí, ok. Só que ele decide ir embora da cidade e deixar a menina para trás. Não contente com isso, ele volta e percebe que ela está, pasmem, muito bem sem ele. Em choque, ele reclama que ela agora "tem sua própria reputação", "tem mais costume de sair" e "bebe champanhe na balada com garotas que ele não conhece". Dá uma olhada na letra:

"Ever since I left the city you/ Got a reputation for yourself now/ Everybody knows and I feel left out/ Girl you got me down, you got me stressed out/ Cause ever since I left the city, you/ Started wearing less and goin' out more/ Glasses of champagne out on the dance floor/ Hangin? with some girls I've never seen before"

Tradução livre: ""Desde que eu deixei a cidade, você tem uma reputação para si mesma agora. Todo mundo sabe e me sinto deixado de fora. Garota você me derrubou, você me deixou estressado porque desde que deixei a cidade, você começou a vestir menos roupas e a sair mais. Bebe champanhe na balada com algumas garotas que eu nunca vi antes"

6

Shake That

Não há parte dessa música, assim como a maioria dos hits do Eminem, que não seja explícita. Mas nessa aqui, após o primeiro refrão, ele manda a mulher "abrir a boca por uns 4-5 minutos, bochechar mas não cuspir, e sim engolir", revelando uma cena de sexo bastante opressora. Ele e o "parça" Nate, segundo a letra, irão finalizar jogando drogas na champanhe da mulher "para finalmente se divertirem".

"I'm a menace, a dentist, an oral hygienist/ Open your mouth for about four or five minutes/ Take a little bit of this fluoride rinse/ Swish but don't spit it, swallow and I'll finish/ Yeah me and Nate d-o double g/ Looking for a couple bitches with some double d's/ Pop a little champagne and a couple E's/ Slip it in her bubbuly, we finna finna have a party"

Tradução livre: "Eu sou uma ameaça, um dentista, um higienista oral / Abra sua boca por cerca de quatro ou cinco minutos / Tome um pouco deste flúor / Bocheche mas não cuspa, engula e eu vou terminar / Sim, eu e Nate / Procurando um casal de cadelas com alguns duplos D's / Um pouco de champanhe e um par de E's / Vamos jogar as pastilhas nas borbulhas e, finalmente teremos uma festa "

7

Trepadeira

A letra dessa música do Emicida é um pouco confusa, mas depois de ouvir algumas vezes, um ou outro verso ficam bem marcados. "Mas você não dá, ou melhor, dá, mas pra todo mundo!" e "Merece era uma surra de espada de São Jorge" são as que particularmente entregam o jogo desse rap mascarado com versos complicados de se entender, e machismo dos pés à cabeça.

8

Química

A não ser que você tenha vivido em outro planeta no último ano, já sabe que o Biel não é lá flor que se cheire. O cara se envolveu num escândalo na mídia quando assediou uma jornalista em plena entrevista, e a partir daí foi uma bola fora atrás da outra. Com todo o ridículo que ele passou, suas letras acabaram também sendo criticadas pelos versos machistas. Nessa aqui, ele diz:

"Você me fala que não/ mas eu te provo que sim"

Biel, dica: não é NÃO!

9

Animals

O refrão repetitivo dessa música fica grudado na cabeça, e acho que é só nisso que acabamos prestando atenção. A letra começa dizendo "vou te caçar/ comer você viva/ como animais" e continua com "talvez você ache que consegue se esconder/ eu sinto seu cheiro a quilômetros". Além de um pouco perturbadoras, essas frases ainda objetificam o corpo da mulher, a comparando com um animal sendo caçado. E não para por aí, quase todos os versos desse hit do mundo pop não são nem um pouco legais:

"It's like we can't stop, we're enemies / But we get along when I'm inside you, eh / You're like a drug that's killing me / I cut you out entirely / But I get so high when I'm inside you" (...) "Yeah you can start over you can run free / You can find other fish in the sea / You can pretend it's meant to be / But you can't stay away from me"

Tradução livre: "É como se não pudéssemos parar, somos inimigos / Mas nós nos damos bem quando estou dentro de você / Você é como uma droga que está me matando / Eu te cortei completamente / Mas eu fico tão alto quando eu estou dentro de você" (...) "Sim, você pode começar de novo, você pode correr livre / Você pode encontrar outros peixes no mar / Você pode fingir que está destinado a ser / Mas você não pode ficar longe de mim"

Aliás, o clipe também não ajuda: as cenas iniciais mostram, repetidamente, imagens de uma mulher e de pedaços de carne crua em um açougue. Não precisamos falar mais nada, né? A analogia já ficou bem clara.

*Este conteúdo foi produzido e editado por alunas do 5º semestre do curso de Jornalismo da ESPM-SP, sob a orientação da professora Magaly Prado.