10 curiosidades sobre a Kombi brasileira, que celebra 60 anos em 2017

Marina Harriz
da Universidade Metodista de SP*

  • Divulgação/Volkswagen

    Kombi Last Edition foi lançada em 2013, último ano de produção do veículo

    Kombi Last Edition foi lançada em 2013, último ano de produção do veículo

Você já andou de Kombi? Se não, certamente já viu algumas de diversas cores e estilos. Ela começou a ser montada no país em 1953 com peças importadas pela empresa Brasmotor, hoje proprietária da Brastemp. Em 1957, a primeira Kombi nacional foi produzida. A partir dessa data, foram 56 anos de produção sem interrupções; o último modelo foi batizado de "Last Edition", em 2013, nas cores azul e branco. Em 2017, a Kombi brasileira completa 60 anos, e a Volkswagen anunciou que vai voltar a produzir o veículo, mas totalmente reformulado e elétrico.

Divulgação
Divulgação

1

Veículo pioneiro

O primeiro Volkswagen brasileiro não foi o Fusca, e sim a Kombi, fabricada em junho de 1957. A produção foi iniciada na fábrica de São Bernardo do Campo (SP). A Kombi, aliás, tem uma história de pioneirismo: significou o início da fábrica que até hoje é a principal planta da Volkswagen nacional e ainda popularizou o ABC paulista, pois operários começaram a migrar para a Grande SP em busca de empregos na fábrica, fazendo com que a região se expandisse.
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP

2

Abreviação de Kombinationsfahrzeug

Kombi é uma abreviação do termo "Kombinationsfahrzeug", que significa combinação entre espaço para carga e passeio, ou seja, sempre foi um carro utilitário e muito versátil, utilizado para várias funções.
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP

3

Mais de 1,5 milhão de unidades

Em 1957, eram fabricados 8 veículos por dia. No seu primeiro ano, a Kombi vendeu 522 unidades. Na década de 60, a Volkswagen bateu o recorde da época, quando foram produzidas 22.000 unidades/ano. Em 1962, a empresa teve um número de 53.073 vendidas. No último ano de produção, 2013, a empresa encerrou a fabricação ultrapassando a marca de 1,5 milhão de Kombis produzidas, num total de 1.557.984 unidades ao longo dos anos.
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP

4

Diferentes nomes pelo mundo

Rugbrod na Dinamarca, Barndoor nos EUA, Junakeula na Finlândia, Bulli na Alemanha e Papuga na Polônia. No Brasil é conhecida como Kombosa, Perua e "Pão de forma" devido ao seu formato retangular. Além disso, o modelo corujinha tem esse nome devido aos para-brisas, que são divididos e se assemelham aos olhos arregalados da ave.
Reprodução/classiccult
Reprodução/classiccult

5

Foi líder no mercado por não ter concorrência direta

Os carros que chegaram mais perto de disputar mercado com a Kombi foram a Rural da Willys-Overland (1958) e o Chevrolet Veraneio (1965). Porém a Kombi tinha vantagem frente a esses outros veículos por ter mais espaço para lugares, pequeno consumo de combustível e ser mais leve.
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP

6

kombi a álcool tinha dois bocais de abastecimento

O bocal de abastecimento localizado do lado direito era um tanque de combustível comum, para álcool, e, do lado esquerdo, havia um bocal para gasolina, com o objetivo de auxiliar na partida a frio. Em 2006, o surgimento do sistema flex fez com que a Kombi voltasse a ter duas aberturas, porém diferentes das do modelo a álcool: o lado esquerdo era usado para a partida fria, somente com gasolina, e do lado direito ficava o bocal convencional, que podia receber álcool ou gasolina.
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP

7

A Kombi brasileira pelo mundo

Ela foi exportada para a Argentina, na América do Sul, e para a Nigéria, na África, na década de 1980. Além disso, na última remessa produzida no Brasil, uma empresa inglesa importou 99 Kombis para transformá-las em motorhomes.
Divulgação
Divulgação

8

Só um padrão

A partir dos anos 2000, a Volkswagen decidiu produzir o carro somente na cor branca e com apenas um modelo de tecido para os bancos, formato usado até o fim da produção.
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP
Marina Harriz/Universidade Metodista de SP

9

Dia Nacional

O dia considerado inteiramente da Kombi é 2 de setembro. Desde 2014, essa data é comemorada pelos admiradores do veículo, com autorização da Volkswagen
Divulgação
Divulgação

10

Micro-ônibus do futuro

A Volkswagen anunciou no mês de agosto de 2017 que vai produzir a nova Kombi. O carro será elétrico e deve chegar no mercado em 2022. De acordo com a empresa, o veículo pode parecer pequeno por fora, porém tem o interior espaçoso. O carro também poderá ser utilizado para levar cargas, mantendo sua característica de utilitário.







*Reportagem produzida por aluna de jornalismo da Universidade Metodista de SP, sob orientação da professora Camila Escudero.